Preço do gás natural deve voltar a cair em agosto, afirma Anelise Lara

Preço do gás natural deve voltar a cair em agosto, afirma Anelise Lara

em jogo

O preços do gás natural fornecido pela Petrobras para as distribuidoras deve voltar a cair em agosto, acompanhando a desvalorização do petróleo no mercado internacional, afirmou a diretora de Gás e Refino da companhia, Anelise Lara, em transmissão do IBP, nesta quinta (25).

— Os contratos de gás, atualmente, são atrelados ao preço de uma cesta de óleo, com reajustes trimestrais. Os repasses realizados este ano representaram uma queda de 36%, citou Anelise Lara, considerando o preço da molécula (Petrobras) e a tarifa de transporte.

— A executiva também ressaltou que a oferta de gás dos projetos que estão em produção hoje não têm gargalos de infraestrutura para escoamento da produção dos campos offshore para o mercado, em terra.

— “Não falta infraestrutura, hoje, para disponibilizar o gás do pré-sal. Muito dessa crítica está associada à questão que parte desse gás que produzimos é reinjetado. E que se tivéssemos infraestrutura esse gás estaria sendo comercializado (…) a reinjeção de gás tem que continuar porque ela é positiva para o aumento  recuperação de petróleo dos campos, em cerca de 30%”.

— Este ano, estão sendo injetados entre 50 milhões e 56 milhões de m³/dia de gás natural, sendo 43 milhões a 49 milhões de m³/dia relativos a recuperação secundária de óleo – injeção do gás para gestão da pressão dos reservatório e elevação da produção de óleo. Dados de todos os campos em operação.

— Em Lula, maior campo do país em produção, no pré-sal de Santos e operado pela Petrobras, 100% da injeção é para recuperação de óleo, por exemplo. Foram injetados entre 20 milhões e 23 milhões de m³/dia entre janeiro e maio, de uma produção total entre 40 milhões e 48 milhões de m³/dia.

A Engie Brasil Energia tem caixa suficiente para comprar a fatia remanescente de 10% da Petrobras na TAG, disse nesta quinta o presidente da companhia, Eduardo Sattamini. Reuters

— A Petrobras vendeu 90% da transportadora de gás natural para um consórcio do qual a Engie faz parte. A venda dos 10% restantes, já aberta, está prevista no acordo com o Cade, que implicará na saída da petroleira de todo o mercado de transporte e distribuição de gás natural.

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta: WTI subiu 1,87%, com o barril negociado a US$ 38,72; e Brent avançou 1,84%, para US$ 41,05. Mercado segue preocupado com a demanda e abriu em queda nesta sexta (26). Investing.com

Na próxima terça (30), Ubrabio reúne representantes do mercado, do governo federal e parlamentares ligados ao setor de biocombustíveis para discutir as metas do RenovaBio. Confira a programação completa e inscreva-se em bit.ly/webinarRenovabio

— Participam os deputados Arnaldo Jardim (Cidadania/SP) e Jerônimo Goergen (PP/RS); Miguel Lacerda, diretor de Biocombustíveis do MME; Juan Diego Ferrés, presidente da Ubrabio; Evandro Gussi, presidente da Unica; Guilherme Nolasco, presidente da UNEM; e Alexandre Gardemann, presidente da ABiogás.

O governo de Donald Trump pressiona o Brasil a aumentar importação de etanol americano, de olho em agradar os produtores do país, diante das eleições presidenciais deste ano, informa a Folha.

— O jornal apurou que os americanos querem o fim da cota de importação sem a taxa de 20%. O governo Bolsonaro, a pedido de Trump, já elevou esse cota ano passado, de 600 mil litros para 750 mil litros.

— Tema é divisivo no Brasil. Para amenizar o impacto sobre os produtores nacionais, o governo criou uma reserva de mercado: apenas produtores de etanol podem importar o biocombustível sem a taxa de importação, impedindo outros importadores e distribuidoras de trazer o etanol mais barato – o que elevaria a a competição.

Fonte: epbr

Tags

Adicionar comentário

Seu e-mail está seguro com a gente.

Sign In Cooper GNV – Tudo sobre GNV

Para um login ou registro mais rápido, use sua conta social.

or

Account details will be confirmed via email.

Reset Your Password